Banner

Área de Serviço

Alterações no Cronograma da Coleta Seletiva

Alterações no Cronograma da Coleta...

Confira abaixo o novo cronograma da coleta seletiva de lixo:Segunda-feiraMaringá até Oscar Schick – FormosaMaringáJardim AlvoradaJardim... [More...]

Portal do Bairro Jardim Algarve
Ajude a encontrar a Mel
Utilidade Pública
Dom, 09 de Outubro de 2011 12:23

A Mel é uma cadelinha da raça poodle, tem 7 anos e desapareceu ontem (08/10/2011)
na rua Integração (antiga rua 26).

Ela tem a pela em volta de um olho preta e outra branca.
e uma despigmentação no nariz.

Quem encontrá-la favor entrar em contato no telefone 3443-7539

 

 

 
O dia que a música morreu
Entretenimento
Sáb, 04 de Fevereiro de 2012 10:49

Em 3 de fevereiro de 1959, um avião de pequeno porte caiu próximo a Clear Lake, Iowa, matando três músicos estadunidenses derock and roll: Buddy Holly, Ritchie Valens e J. P. "The Big Bopper" Richardson, assim como o piloto Roger Peterson.[1] Este dia seria definido posteriormente por Don McLean em sua canção "American Pie" como "o dia em que a música morreu"

Antecedentes
Os músicos estavam excursionando na turnê "The Winter Dance Party", projetada para cobrir vinte e quatro cidades do centro-oeste dos Estados Unidos em apenas três semanas, de 23 de janeiro a 15 de fevereiro de 1959. Um dos problemas logísticos era o tempo gasto durante as viagens, pois a distância entre os locais dos concertos não foi considerado quando cada um deles foi agendado. Outro era o ônibus usado para transportar os músicos, não preparado para enfrentar o inverno. Seu sistema de aquecimento quebrou pouco depois do início da turnê, e como consequência o baterista de Holly, Carl Bunch, desenvolveu um caso grave de congelamentonos pés, tendo de ser internado em um hospital. Enquanto ele se recuperava, Buddy Holly e Ritchie Valens revezavam-se nabateria.[4]
O The Surf Ballroom em Clear Lake, Iowa, não estava agendado para ser a próxima parada da turnê, mas seus organizadores, esperando incluir mais datas, entraram em contato com Carroll Anderson, gerente do local, que aceitou a proposta. O show foi marcado para uma segunda-feira, 2 de fevereiro.
Ao chegar no local, Buddy Holly, frustrado com o ônibus de viagem, disse a seus colegas de banda que, terminado o show, ele tentaria fretar um avião para alcançar a próxima parada da turnê, a cidade de Moorhead, em Minnesota. Holly também estaria incomodado por não ter mais camisetas, meias e cuecas limpas. Ele precisaria lavar suas roupas antes do próximo concerto, mas alavanderia local estava fechada naquele dia.[5]
Ele conseguiu então combinar um vôo com Roger Peterson, um piloto de 21 anos que trabalhava para a Dwyer Flying Service na cidade vizinha de Mason City. Uma taxa de 36 dólares por passageiro foi acertada para que Peterson levasse Holly e mais dois acompanhantes até Fargo em seu Beechcraft Bonanza modelo B35, fabricado em 1947.[6]
Uma das vagas foi oferecida a Dion DiMucci, vocalista do grupo Dion and the Belmonts, mas ele decidiu que não gastaria os 36 dólares da passagem pois aquele era o mesmo valor que seus pais pagavam pelo aluguel de um apartamento, e sendo assim ele sentiu que não poderia justificar a extravagância de gastar aquele valor.[7] Os dois assentos ficariam então com Waylon Jennings e Tommy Allsup, músicos que acompanhavam Holly em sua recém-iniciada carreira solo.
J.P. Richardson, que contraíra gripe durante a turnê, pediu a Jennings que cedesse seu lugar no avião. Jennings concordou, e quando Holly ficou sabendo do trato, brincou: "Bom, espero que esse seu ônibus velho congele". Jennings, também em tom de brincadeira, respondeu: "E eu espero que seu avião velho caia". Este diálogo perseguiria Jennings pelo resto de sua vida.[5][8]
Ritchie Valens, que nunca viajara de avião antes, pediu pelo lugar de Tommy Allsup, que respondeu que isso seria decidido em um jogo de cara ou coroa. Bob Hale, radialista da KRIB-AM, estava trabalhando no concerto como DJ naquela noite, e jogou a moeda pouco antes dos músicos partirem para o aeroporto. Valens venceu, ganhando o assento na aeronave

Acidente
O avião decolou por volta de 00:55 (hora local). Pouco depois de 01:00 da manhã, Hubert Dwyer, piloto comercial e dono da aeronave, observando de uma plataforma do lado de fora datorre de controle, viu a luz de cauda do avião descer gradualmente até sumir de vista.
Peterson havia dito a Dwyer que passaria seu plano de vôo à torre de controle por rádio depois da decolagem. Como ele não se comunicou com os controladores, Dwyer pediu que eles tentassem entrar em contato com a aeronave, mas não obtiveram resposta.[9]
Às 3:30 da manhã, quando o Aeroporto Hector em Fargo, Dakota do Norte, informou não ter recebido qualquer sinal do Bonanza, Dwyer contactou as autoridades e declarou a aeronave como desaparecida.
Por volta das 09:15 da manhã, Dwyer decolou de outro avião de pequeno porte para seguir a rota planejada por Peterson. Pouco tempo depois, ele visualizou os destroços do Bonanza em uma plantação de milho pertencente a Albert Juhl, situada oito quilômetros a noroeste do aeroporto.
A aeronave estava em um ângulo levemente descendente e inclinada para a direita quando atingiu o solo a 270 quilômetros por hora. Ela então capotou e derrapou por mais 170 metros na paisagem congelada antes que a massa retorcida de ferragens batesse contra uma cerca de arame farpado nas cercanias da propriedade de Juhl. Os corpos de Holly e Valens caíram próximos ao avião, Richardson foi arremessado através da cerca e dentro da plantação de milho do vizinho de Juhl, Oscar Moffett, enquanto Peterson ficou preso à cabine. Carroll Anderson, o gerente do Surf Ballroom que levara os músicos ao aeroporto da cidade vizinha e presenciara a decolagem do avião, foi o primeiro a identificar as vítimas.[9]
Autópsias posteriores indicaram que todos os quatro morreram instantaneamente com o impacto. O laudo do legista detalhou os ferimentos múltiplos sofridos por Holly, demonstrando como ele morreu na queda:

O corpo de Charles H. Holley estava vestido em uma jaqueta amarela de material semelhante a couro, com as costuras na parte das costas rasgadas em quase toda sua extensão. O crânio foi partido medial à testa, com o dano estendendo-se à região do vértex. Aproximadamente metade do tecido cerebral estava ausente. Havia sangue em ambos os ouvidos, e a face mostrava diversos cortes. A consistência do tórax estava mole devido a extensivo esmagamento da estrutura óssea. Ambas as pernas apresentavam fraturas múltiplas. [10]'


Investigações concluíram que o acidente foi provocado por uma combinação de mau tempo e erro humano. Peterson, operando em vôo por instrumentos, ainda estava sendo testado nesta especialidade, não sendo habilitado para pilotar em condições climáticas não visuais, que requeriam que operação da aeronave fosse feita apenas por orientação dos instrumentos. O inquérito final da Civil Aeronautics Board observou que Peterson havia sido treinado em aeronaves equipadas com horizonte artificial, não tendo portanto experiência com o incomum giroscópio indicador de altitude Sperry F3 utilizado no Bonanza. Para piorar a situação, os dois instrumentos indicavam o eixo de uma aeronave de maneira exatamente oposta; isso levou os investigadores a concluírem que Peterson pode ter pensado que estava subindo quando estava, de fato, descendo. Eles também descobriram que o piloto não recebeu alertas adequados sobre as condições climáticas, o que, dado seus conhecimentos limitados, poderia tê-lo feito adiar o vôo.[9]

 
Acidente entre 2 carros causa lentidão na freeway
Notícias - Alvorada
Sex, 28 de Setembro de 2012 18:48

Dois veículos foram parar debaixo d´agua na manhã desta terça-feira na BR 290 sentido bairro-centro.

Os veículos que teriam se chocado foram parar na área alagado na lateral da pista. Os carros ficaram

submersos quase que por completo. O fato causou um grande congestionamento na via, principalmente por conta

dos curiosos que reduziam a velocidade para observar o fato. Ninguém se feriu.

 

 
Para que serve o planemajento do orçamento familiar
Finanças Pessoais
Ter, 07 de Fevereiro de 2012 12:15
Planejar é sempre uma das principais questões a ser discutida
sobre os mais diversos pontos, seja na carreira, seja em casa.
Com o planejamento do orçamento familiar não é diferente,
não só para apontar os gastos da família, mas também para
alcançar um objetivo a ser alcançado.









Todos, de certa forma, sabemos da importância de planejarmos nossos passos, seja ele para alcançar algum objetivo, ou para seguir um plano de carreira. Em casa não é diferente, precisamos nos planejar para que tenhamos sucesso para alcançar os objetivos estabelecidos em família. E não só para alcançar um objetivo comum, mas o planejamento familiar também serve para reduzir gastos desnecessários e estruturar a participação de cada um no orçamento da família.
De nada adianta a esposa querer comprar carro novo, se o objetivo do marido é reformar a casa ou comprar uma nova. O resultado desta união é a falta de recursos dos dois por falta de planejamento. Se tivessem conversado a respeito, certamente definiriam qual seria a prioridade, e unindo as rendas e esforços comprariam os dois, cada um ao seu tempo. É preciso ter consenso para que os dois possam entrar em sintonia e atingir os objetivos juntos. Assim também deve ser quando a família já tem filhos, aos que já possuem renda, servirá para saber qual a parcela de participação em casa terão de ter, se ainda não trabalham, devem saber e aprender junto com os pais qual a melhor forma de gastar o dinheiro da família, ou ainda, se houver cortes de gastos, saber porque isto está acontecendo.
Quando se fala em planejamento familiar, muito se fala em valores, que todos contribuem juntos, e pagando as contas, o restante é para lazer, para vestuário. E quando chega a época do 13º, vamos fazer uma viagem ou pagar algumas contas para desafogar o orçamento? É neste caso que entra o planejamento do orçamento familiar. Não adianta comprar o que não estava previsto e depois se arrepender porque fez aquela parcela pequena. Com tantas outras parcelas pequenas para pagar, na hora de juntar todos os carnês, esta parcela imprevista acaba virando o início de uma bola de neve, e aí quando chega a hora de pagar as contas, falta dinheiro para pagar aquela parcela pequenininha, que agora vira um monstro dentro do orçamento.
Cada família, a seu modo deve tentar fazer o seu planejamento financeiro, e se for o caso de incluir planos para o futuro, definir qual a maneira de alcançar este plano, e as economias que a família terá de fazer. Um belo exemplo disso são as famílias que se reúnem para definir os gastos fixos (água, luz, aluguel) e os gastos variáveis (supermercado, vestuário). Juntos colocaram na ponta do lápis tudo o que gastam mensalmente. É preciso definir quem será a pessoa que irá reunir a família para este exercício e qual será a pessoa engajada e coerente que defenderá a ideia proposta no último encontro que definiram as metas.
Os casais que ainda não possuem filhos devem também definir juntos qual a parcela que cada um participará com as despesas da casa e os planos para aplicação do dinheiro que sobrar das despesas, claro que respeitando as necessidades de cada um, mas com controle de gastos desnecessários para aumentar as chances de uma economia para o caso de emergências.
A economia de recursos seja ela em poupança ou investimento é um plano extremamente importante para o equilíbrio das despesas da família. Em caso de um dos membros ficar desempregado ou em casos mais complicados como problemas de saúde, esta reserva será de grande valia, para evitar problemas e desiquilíbrio financeiro da família. Por isso deixo uma dica: inclua dentro dos gastos da família, inclua uma pequena reserva mensal dentro das obrigações de todos, e de modo realista, porque os cortes para melhorar o orçamento da família podem ser necessários, porém quando se espera guardar uma parte dos rendimentos da família, deve se estabelecer valores de acordo com o orçamento de todos, para não deixar de poupar o que foi estabelecido para pagar contas.
Aproveite este momento de planejamento para fazer um acordo com todos e assim evitar gastos desnecessários. Não adianta todo o planejamento estar estabelecido e aí, num passeio ao shopping comprar para aproveitas as promoções e quebrar o que foi acordado com a família. Pergunte se é necessário fazer a compra, se você precisa realmente ou se quer comprar. Quer e precisar são coisas diferentes: querer é a vontade de ter e precisar é quando você realmente não tem escolha.
Evite fugir do que foi acordado. Vale muito conversar com todos da família, inclusive em momentos mais difíceis em que um membro precisa de auxílio financeiro. Emprestar, doar, pode ser a saída para não desequilibrar o orçamento e evitar de pagar juros desnecessários.
O planejamento do orçamento familiar serve para isso. Cada um, a sua maneira deve colocar tudo no papel para entender onde está indo o dinheiro. Este exercício, na sua maioria deixa claro todas as despesas da casa. Muitos, não percebem quanto nem como gastam seus recursos. Mesmo sem cortes, muitas famílias percebem como estão agindo errado quando começam a praticar o planejamento do orçamento, mesmo que não tenham o propósito de um objetivo, aplicam simplesmente para gastar melhor seus rendimentos, deixando um responsável por pagar as contas e organizar as despesas da casa.
Sempre vale praticar o planejamento do orçamento familiar. No mínimo se descobre a maneira correta de aplicar e gastar os rendimentos da casa.
 
Ele é a Vida!
Colunas - Palavra Viva
Sáb, 23 de Fevereiro de 2013 22:26

Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. I João 5.12

 

O Evangelho muitas vezes é pregado e anunciado como algo que vai melhorar a vida das pessoas, trazer satisfação pessoal ou bens materiais. Sobre tais aspectos é inegável que aqueles que estão em Cristo possuem o direito de usufruir, porém aceitar a mensagem da cruz não é agregar ao indivíduo coisas boas e, sim, receber a verdadeira vida que a morte espiritual arrancou do ser humano.

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Romanos 3.23

Adão foi criado por Deus para adorá-Lo e servir na terra – obra de Suas mãos. Tudo o que existe lhe foi dado para usufruir e dominar com a inteligência grandiosa que tinha antes da queda. As capacidades de Deus semelhantemente ele também possuía e desfrutava de uma vida abundante na Presença do Criador. Aliás, todos os dias o Altíssimo lhe visitava e falava com Adão. Que maravilha!

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra”. Gênesis 1.26

Até o dia em que o homem se deixou levar pela inclinação de possuir um conhecimento que não precisava ter: O do bem e do mal. O bem, por ser uma criatura de Deus já lhe era intrínseco, mas o mal era uma tentação que só traria destruição. Então quando Adão quebrou o mandamento de obediência ao Pai a Vida de Deus – soprada no seu interior quando formado – deu lugar a natureza maligna do Enganador. Desde então o homem vive ao mesmo tempo em que está morto espiritualmente.

“Porque o salário do pecado é a morte”. Romanos 6.23a

Nesse contexto as pessoas procuram sempre melhorar, adquirir mais coisas ou experiências que deem sentido a sua existência. Muitos até mesmo buscam no “Evangeliquismo” suprirem necessidades naturais, enganando-se tanto quanto os que se enveredam nas falsas religiões, no sexo ilícito, no dinheiro, no sucesso ou entorpecentes. Há ainda pregadores de uma mensagem oportunista da Palavra de Deus que influenciam o povo a buscar a Deus por motivações erradas. Até mesmo tornando-o duas vezes mais perdido por acharem que frequentar uma igreja e dar ofertas é sinônimo de salvação.

“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês”. Mateus 23.15

O que Jesus é e o que Jesus faz não são algo a mais que alguém precisa. Como alguns dizem: “Para aquela pessoa só falta ser de Deus”. Não. É só dEle que toda a gente precisa. Portanto, saiba-se que o Evangelho de Jesus Cristo não trará melhoramentos, e sim, a própria Vida de Deus. Restituirá os “Adões” e “Evas” para sempre!

“... Mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor”. Romanos 6.23b

 


Página 4 de 42